A cor do meu painel interfere na sua performance?

Muitas vezes, leitores perguntam: em um conjunto de manobra e controle, tanto de baixa como de alta tensão, o que inclui barramentos blindados, o grau de proteção do invólucro interfere na performance e no funcionamento do equipamento? Vejamos…

Capacidade de troca de calor de um equipamento elétrico, grande parte das vezes, é função da quantidade de ar que este equipamento troca com o meio ao seu redor, certo? Assim sendo, se um quadro, cubículo ou barramento blindado tiver grau de proteção menor, em tese ele terá uma ventilação melhor que outro com grau de proteção maior, o que pode significar que ele tem uma performance térmica mais adequada e portanto, funcionaria mais “frio”.

Vamos esmiuçar um pouco mais para esclarecer melhor. Se um equipamento for dimensionado para manter seu nível de performance dentro dos parâmetros de temperatura previstos nas Normas do equipamento, por exemplo a NBR-IEC-61439-1 para quadros e barramentos blindados de baixa tensão e NBR-IEC-62271-200 para cubículos de média tensão, dependente de ventilação com troca de ar com o meio externo, então significa que se interrompermos este fluxo de ar seguramente interferiremos diretamente em sua performance, porque ele foi concebido para trocar ar para sua refrigeração, não somente emissão de infravermelho por seu invólucro.

Ainda nos produtos concebidos para serem resfriados pelo fluxo contínuo de ar, barramentos blindados ventilados, como por exemplo os produtos com grau de proteção IP-31, quando submetidos aos ensaios na posição horizontal, devem ser reclassificados quanto à capacidade de condução de corrente se instalados na vertical. Segundo a NBR-16019 de 05/12/2011, os barramentos desta situação devem ser desclassificados a 80% de sua capacidade nominal. É compreensível esta exigência pois a ventilação com o produto na vertical é absolutamente comprometida pois o fluxo de ar é significativamente menor em comparação com o fluxo quando a peça está na horizontal. Barramentos blindados não ventilados não devem ser desclassificados quando aplicados na vertical pois independem de fluxo de ar para refrigeração.

No tocante a quadros e cubículos, é necessário especificar adequadamente o grau de proteção requerido na instalação pois a diferença de preços entre um painel IP-3x com um IP-54 pode chegar a 100%! Seguindo o mesmo raciocínio elaborado para os barramentos blindados no parágrafo acima, um painel ou cubículo dimensionado para resfriar-se por meio de fluxo de ar contínuo, forçado ou natural, com o meio externo é substancialmente mais barato do que um quadro ou cubículo que troca calor com o meio externo por meio de radiação infravermelho de seu invólucro.

Então, ficam duas dicas: a primeira é o leitor definir com precisão o grau de proteção do invólucro que sua instalação realmente necessita; e a segunda é que, determinado esse grau de proteção IP, busque fabricantes que tenham seu produto efetivamente submetido aos ensaios pertinentes neste grau de proteção IP desejado, não aceitando extrapolação pois, como vimos, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa!!!  Boa leitura!

Atualizado em 28 de julho de 2021 por Simone Vaiser

Posts Relacionados

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico