Artigos técnicos

19 jan: Normatização das redes elétricas – Certificação das instalações elétricas e conscientização

Edição 119 – Dezembro de 2015 Por Sidnei Ueda* Em janeiro do ano passado, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) publicou uma portaria que estabelece a certificação voluntária das instalações de baixa tensão no Brasil. Segundo o Artigo 3º, da Portaria nº 51, de 28 de janeiro de 2014, fica instituído “no âmbito do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade – SBAC, a certificação voluntária para Instalações Elétricas de Baixa Tensão, a qual deverá ser realizada por…

18 jan: Compensação por energias ativa e reativa em redes de distribuição

Edição 119 – Dezembro de 2015 Aula Prática: energias ativa e reativa Por Felipe Zimann, Marcello Mezaroba e Alessandro Luiz Batschauer* Sistema de controle de potência ativa e reativa na regulação de baixa tensão em redes trifásicas de distribuição Devido ao consumo crescente de energia elétrica nos últimos anos e a preocupação com a qualidade de energia fornecida aos consumidores, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estabeleceu diretrizes para o funcionamento e desempenho para os sistemas de distribuição de…

18 jan: Como ficou o jargão “10 ohms em qualquer época do ano” para o caso de aterramento não natural, com a nova ABNT NBR 5419?

Edição 119 – Dezembro de 2015 Espaço 5419 Por José Barbosa de Oliveira* A versão anterior da ABNT NBR 5419:2005 apresentava uma recomendação de resistência de aterramento de aproximadamente 10 ohms para eletrodo de aterramento não natural, que desencadeou uma prática de avaliação de todo o SPDA através desse valor. Logo, alcançar um valor menor que 10 ohms era indevidamente considerada condição sine qua non para um SPDA adequado, de tal modo que se tornou comum encontrar uma nota nos…

21 dez: Normatização das redes elétricas – Profissionais qualificados e material de qualidade

Edição 118 – Novembro de 2015 Por Sidnei Ueda* Todo projeto de rede elétrica deve ser desenvolvido para garantir a proteção e o conforto dos usuários, bem como a segurança do imóvel e dos seus bens materiais. Assim, entre os principais itens que garantirão esses requisitos, estão: a mão de obra qualificada e a adoção de produtos certificados para, desta forma, assegurar que as normas de segurança sejam respeitadas. Uma instalação elétrica segura é também eficiente, pois as perdas de…

21 dez: Experiências europeias de políticas para promoção de redes inteligentes e desafios para o Brasil

Edição 118 – Novembro de 2015 Artigo: Smart Grid Por Nivalde de Castro, Lucca Zamboni e Roberto Brandão* O Grupo de Estudos do Setor Elétrico (Gesel), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) vem desenvolvendo no âmbito do Programa de P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para a EDP Brasil o projeto “Avaliação de políticas e ações de incentivo às inovações tecnológicas no setor elétrico: análise da experiência internacional e propostas para o Brasil”. Após seis meses…

18 dez: Infraestrutura Avançada de Medição (AMI)

Edição 118 – Novembro de 2015 Aula Prática: infraestrutura Por Rogério Botteon Romano, Paulo Eduardo Sípoli Faria, Luiz Carlos de Oliveira, Gleidyson Paulino Almeida, Geraldo Tadeu Batista de Oliveira, Carlos Alberto Monteiro Leitão* Os resultados da implantação de duas soluções de infraestrutura avançada de medição na região geoelétrica da cidade de Sete Lagoas (MG). Basicamente, a infraestrutura avançada de medição Advanced Metering Infrastructure (AMI) pode ser considerada um sistema composto por medidores de energia elétrica com inteligência computacional embarcada e…

18 dez: O posicionamento dos Dispositivos de Proteção contra Surtos

Edição 118 – Novembro de 2015 Espaço 5419 Por Sergio Roberto Santos* Existem algumas dúvidas ou práticas equivocadas – o que é pior – sobre a aplicação dos Dispositivos de Proteção contra Surtos (DPS). A leitura da parte 4 da norma ABNT NBR 5419:2015, que trata da proteção dos sistemas elétricos e eletrônicos internos na estrutura nos ajuda a proceder corretamente.  Atualizado em 7 de junho de 2021 por admin

26 nov: O que muda na condução da descarga atmosférica até o solo?

Edição 117 – Outubro de 2015 Espaço 5419 Por José Barbosa de Oliveira* Ao captar a descarga atmosférica, precisamos tratá-la adequadamente, conduzindo-a até o solo com segurança. O subsistema de descida é o responsável por essa função. As exigências estabelecidas pela ABNT NBR 5419-3 para esse subsistema visam controlar os níveis de tensão gerados ao longo da estrutura na condução das descargas. Também poderão contribuir com o subsistema de captação, captando as descargas laterais que poderão atingir lateralmente a estrutura. …

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico