Avaliações e reconhecimentos em sustentabilidade

Edição 94 – Novembro de 2013
Por Michel Epelbaum

Nesta coluna e na próxima, falaremos sobre avaliações e reconhecimentos em sustentabilidade.

Em novembro último foi publicado o Guia Exame de Sustentabilidade 2013, em sua 14ª edição, um dos mais reconhecidos no Brasil. Este guia é baseado em questionário (disponível no site http://www.exame2.com.br/servicos/sustentabilidade/) e em análise do desempenho de 184 empresas por conselho de especialistas, com metodologia elaborada pela Fundação Getulio Vargas, baseado em critérios divididos em quatro dimensões:

dimensão geral – 23 questões sobre comprometimento da empresa, estrutura de governança corporativa, código de conduta, inserção na política de remuneração variável, engajamento de partes interessadas e sua inserção no planejamento da empresa, transparência e relato de informações;

dimensão econômica – 16 questões sobre a inserção de temas no planejamento estratégico e controle financeiro, gestão de riscos socioambientais, gestão de crises e cobertura de seguros, gestão de ativos intangíveis, indicadores de desempenho, demonstrações financeiras, cumprimento legal;

dimensão social – 39 questões sobre relações de trabalho e direitos humanos, processo de ouvidoria, desenvolvimento profissional e remuneração justa, critérios sociais para seleção de fornecedores, critérios sociais para cliente (com respeito aos riscos do produto, respeito à privacidade e marketing ético, atendimento ao consumidor), investimento social privado, iniciativas junto à comunidade do entorno, impactos socioambientais à sociedade, participação em esforços comuns e políticas públicas, contribuições para campanhas políticas;

dimensão ambiental – 49 questões sobre política e estrutura de governança ambiental, inventário e metas para redução de emissões de gases de efeito estufa, ações para conservação da biodiversidade, atendimento aos requisitos legais sobre áreas de preservação permanente e de reserva legal, monitoramento e redução de consumo de recursos naturais e energia, avaliação de impactos ambientais, gestão e controles sobre impactos ambientais e ocupacionais, critérios ambientais para fornecedores, comunicação com as partes interessadas, comunicação de riscos ambientais e de segurança do trabalho, publicação de resultados e metas de desempenho ambiental e ocupacional, gestão de passivos ambientais, seguro ambiental, cumprimento da legislação e processos judiciais, certificações de sistema de gestão ambiental e de segurança/saúde do trabalho, gestão de emissões e resíduos, gestão e minimização de impactos no pós-consumo.

Sete empresas do setor de energia fazem parte deste Guia. Adistribuidora Elektro foi considerada a mais sustentável por suas notas em 2013 e vem participando deste documento de 2005 a 2007, 2008 e 2011 a 2013. Dentre as geradoras, a melhor colocada em 2013 foi a AES Brasil, que participou do Guia em 2008, 2009, 2012 e 2013.

Também foram avaliadas as empresas em sete indicadores-chave, sendo que os resultados das sete empresas do setor de energia, em termos de percentual de cumprimento dos requisitos, foram:

governança da sustentabilidade – acima de 70%;

direitos humanos – 6 delas cumprindo acima de 70%;

relação com a comunidade – acima de 70%;

relação com os fornecedores – acima de 70%;

gestão de água – cinco delas acima de 70%, duas delas cumprindo de 40% a 70%;

gestão da biodiversidade – quatro delas acima de 70%,duas delas cumprindo de 40% a 70%, uma empresa abaixo de 40%;

gestão de resíduos – constituiu-se no pior resultado, com seis das empresas de 40 a 70%, uma com resultado abaixo de 40%.

Verificou-se que, em cinco das sete empresas de energia avaliadas, a dimensão ambiental foi a de menor desempenho, o que corrobora com o verificado acima para os indicadores ambientais de gestão de água, biodiversidade e resíduos.

O Guia 2013 constatou melhoria da gestão da sustentabilidade das empresas entrevistadas em relação a 2010, destacando-se:

– 56% expressam o compromisso de sustentabilidade em um documento público (52% em 2010);

– 35% tem comitê de sustentabilidade e responsabilidade social que se reporta ao conselho de administração (23% em 2010);

– 84% usam critérios sociais para selecionar fornecedores (82,5% em 2010);

– 63% buscam reduzir a emissão de gases que causam o efeito estufa (54% em 2011).

E a sua empresa, como considera os temas e questões contidos neste Guia em sua gestão?

Atualizado em 7 de junho de 2021 por admin

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico