José Starosta

Qualidade da energia: ponderações sobre a necessária integração dos indicadores

Edição 106 – Novembro de 2014 Por José Starosta Seguindo a sequência dos indicadores apontados na coluna anterior, a ferramenta proposta considera a ponderação ou avaliação de cada um destes indicadores que foram medidos em relação aos esperados de acordo com alguma referência a ser definida. Deve-se considerar que as referências estabelecidas pelas normas são definidas no PAC e as medições são normalmente efetuadas no secundário de um transformador que possui impedância de 5% a 6% e que, portanto, modifica…

Qualidade da energia – Considerações sobre a necessária integração dos indicadores

Edição 105 – Outubro de 2014 Por José Starosta De acordo com os conceitos gerais de qualidade da energia descritos por diversos autores e pelas normas aplicáveis, deve-se considerar a avaliação dos indicadores de qualidade da energia nos diversos pontos de uma instalação (barramentos, por exemplo) em uma análise temporal. Em outras palavras, espera-se que todos os barramentos de uma instalação possuam seus indicadores de qualidade da energia em níveis adequados durante todo o período de operação das cargas. José…

Quando “as coisas” partem Parte 3B – A velocidade de manobra

Edição 104 – Setembro de 2014 Por José Starosta Além da isenção de transientes (tratado na edição anterior), outro tema que merece atenção é a velocidade de manobra dos capacitores. Considerando-se que a velocidade de manobra das cargas pode ser extremamente rápida, é de se esperar que ocorram flutuações de tensão durante os instantes de variação da carga, em outras palavras, a tensão irá flutuar em função da solicitação da carga à rede em que está conectada. José Starosta José…

Quando as “coisas” partem – Parte III

Edição 103 – Agosto de 2014 Por José Starosta Partidas de capacitores A injeção de energia reativa em instalações elétricas de baixa tensão com a instalação de capacitores já foi apresentada e discutida em colunas anteriores de “O setor elétrico” com diversas abordagens, incluindo, além dos aspectos de compensação do fator de potência em si, ressonância harmônica, velocidade de manobra, influência em operação com geradores e outras características (ver edições de janeiro de 2014, maio e junho de 2011, setembro…

Quando as “coisas” partem – Parte II

Edição 102 – Julho de 2014 Por José Starosta Partidas de motores As correntes de partida em motores de corrente alternada são uma das mais “combatidas” no cotidiano das grandes instalações e, historicamente, a tecnologia tem auxiliado no tratamento deste assunto. A razão principal é a importância direta destas correntes na qualidade da energia e nos afundamentos de tensão relativos. O principal ponto de consideração no tema é a limitação desta corrente de partida dos motores de forma que a…

Quando as “coisas” partem – Parte I

Edição 101 – Junho de 2014 Por José Starosta As partidas das máquinas elétricas (motores e transformadores), a energização de capacitores e alguns circuitos especiais, mesmo as lâmpadas a vapores metálicos ou de sódio, possuem comportamento durante a partida ou energização que pode afetar outras partes das instalações elétricas ou ainda os próprios equipamentos. As causas e os efeitos são os mais diversos e trataremos de algumas dessas situações na sequência. José Starosta José Starosta é diretor da Ação Engenharia…

Cem! Sem dúvidas

Edição 100 – Maio de 2014 Por José Starosta Quando o Adolfo (diretor da Atitude Editorial), com o seu habitual entusiasmo, me falou do seu projeto para o lançamento de uma nova revista voltada à eletricidade, fiquei impressionado, sobretudo pela coragem e motivação dele para o novo projeto. Pensei comigo: “este cara está louco!”. Mas, por outro lado, se a publicação focar em desenvolvimento e divulgação técnica, o grande vencedor seria o nosso mercado de engenharia elétrica, que teria mais…

“Oy Vey”, o que faço com a minha terceira harmônica?

Edição 99 – Abril de 2014 Por José Starosta A expressão “Oy Vey” no idioma Ydish pode ser entendida como de lamento, desencanto ou até de desespero e pode ser aplicada em alguns casos quando alguns fenômenos não esperados (também em instalações elétricas) persistem e as causas não são encontradas, surgindo as suposições de sempre. Neste caso todos os tipos de “palpites” aparecem e deixam a turma (de operação e manutenção) literalmente de cabelo em pé. José Starosta José Starosta…

As bandeiras tarifárias

Edição 98 – Março de 2014 Por José Starosta Dentre os diversos temas tratados na questão tarifária esperados para o próximo ano, as “bandeiras tarifárias” é uma ferramenta que havia sido planejada pelo setor elétrico para operar já em 2014 e, por possíveis razões econômicas (controle de inflação), políticas (eleição 2014), ou mesmo por não se considerar o modelo adequado, acabou sendo postergado para a aplicação em ll. José Starosta José Starosta é diretor da Ação Engenharia e Instalações e…

“99, foi o 50 ou 51?” – “Não sei, 86!”

Edição 97 – Fevereiro de 2014 Por José Starosta A dupla era incrível, o casal criado por Mel Brooks e Leonard Stern nos anos 1960 protagonizavam os agentes 86 – Maxwell Smart, vivido pelo ator Don Adams – e a agente 99 – que não teve o nome revelado e era vivida por Barbara Feldon. Pertenciam à organização “do bem”, chamada de “o controle” que combatia o mal representado pela organização chamada de “a kaos”. O site www.tvsinopse.kinghost.net traz mais…