Aterramento e PDA
aterramento

Processamento das curvas de resistividade aparente

NORMA ABNT NBR-7117-1 /2020 Parte 5 – Processamento das curvas de resistividade aparente Por Paulo Edmundo Freire* Considerando que os diferentes volumes de solo nas camadas rasas são “paralelados” pela malha de aterramento, é razoável pensar que a corrente se dividirá de forma inversa com as resistividades do solo raso do terreno. Uma espécie de compensação ocorrerá com uma fração maior da corrente injetada sendo dissipada para o solo em áreas de resistividade mais baixa e frações de corrente mais…

jobson-modena-200

Quem disse que para-raio atrai o raio?

A ideia de se criar um captor ionizante com a utilização da radioatividade foi concebida originalmente em 1914 pelo físico húngaro J. B. Szillard, colaborador do casal de cientistas Pierre e Marie Curie. Szillard ensaiou um captor Franklin contendo sal de rádio e constatou que quando esse dispositivo era colocado sob campo elétrico intenso, a corrente resultante era consideravelmente maior do que aquela medida utilizando-se um captor em condição convencional. Esse incremento de corrente, que criaria um caminho preferencial de…

jobson-modena-200

Situações a serem consideradas na proteção contra sobretensões impulsivas

A necessidade da proteção contra sobretensões impulsivas deve prever as seguintes situações: 1 – Surtos induzidos ou indiretos: Quando as descargas atmosféricas atingem as linhas de transmissão e distribuição de energia, incidem diretamente em árvores e estruturas no solo. As ondas eletromagnéticas originadas pela corrente elétrica que circula no canal da descarga atmosférica se propagam pelo meio (geralmente o ar) induzindo corrente elétrica nos condutores metálicos que estiverem em seu alcance. Estima-se essa distância da ordem de um a três…

abnt-1000-608

ABNT NBR 7117 – Aterramento Elétrico

Medição de resistividade do solo e modelagem geoelétrica – Aterramento A recente revisão da norma ABNT NBR 7117 – Parâmetros do solo para projetos de aterramentos elétricos, publicada em novembro de 2020, trouxe para os profissionais da engenharia elétrica importantes avanços nas técnicas utilizadas para a realização de medições de resistividade do solo e na obtenção de modelos de solo apropriados para os projetos elétricos, especificamente de sistemas de aterramento e de proteção contra descargas atmosféricas. O objetivo desta revisão…

jobson-modena-200

O Franklin morreu?

Segundo informações fornecidas pelo Dr. Hélio Sueta (IEE USP), o método de Franklin teve sua origem baseada na análise de resultados colhidos em experimentos realizados em laboratório. O Dr. Sueta relata que, na década de 1950, cientistas prepararam o piso do laboratório no entorno de um elemento captor vertical e dispararam vários conjuntos de descargas elétricas variando a altura do citado captor a cada conjunto de “mini raios” disparados. Antes de variar a altura da proteção, cada conjunto de pontos…

aterramento-1000-608

Aterramentos elétricos – Panorama da normalização

Por Rinaldo Junior Botelho, Rosane Maris Ribas e José Maurílio da Silva* A ideia deste artigo é levar aos leitores o conhecimento obtido ao longo do tempo e detalhar pontos importantes de cada norma ligada ao assunto “aterramento elétrico”. A Comissão de Estudos que atua na área especifica de “aterramentos elétricos” é a CE-03.102, reativada em setembro de 2004, após desenvolvimento de trabalhos árduos e extremamente produtivos no âmbito do CODI – Comitê de Distribuição nos anos de 1980. Daquele…

Sistemas de aterramento de plantas de geração renovável

*por Paulo Edmundo da Fonseca Freire A Comissão de Estudo de Aterramentos Elétricos (CE-003:102.001) do Comitê Brasileiro de Eletricidade (ABNT/CB-003) está revisando diversas normas publicadas, visando adequar-se ao avanço tecnológico, bem como elaborar normas atualizadas com as plantas de geração de energias renováveis, que vão refletir os critérios já estabelecidos pela normalização internacional, assim como a experiência adquirida no Brasil com os muitos empreendimentos que têm sido aqui implantados. As modernas plantas de geração renovável, como parques eólicos e usinas…

Proteção contra descargas atmosféricas em estruturas com telhas de concreto protendido

*por Hélio Eiji Sueta As telhas de concreto protendido são telhas utilizadas para cobrir grandes vãos. Estas telhas, algumas vezes chamadas de telhas “W”, possuem cabos de aço em toda a sua extensão tracionados para manter a sua robustez mecânica. A ABNT NBR 5419: 2015 cita o concreto protendido em dois pontos na sua parte 3. Uma vez no item 5.3.5, quando trata de componentes naturais para o subsistema de descida, em uma nota que diz: “No caso de concreto…

Deixo ou tiro o SPDA?

*por Normando Virgillio Borges Alves Esta situação já aconteceu comigo diversas vezes e também com outros profissionais que me ligam com frequência para pedir a minha opinião sobre o assunto, assim, decidi escrever este artigo. Este é um caso atípico, pois a grande maioria das instalações que vistorio não atende a nenhuma das normas anteriores e também não existe nenhum tipo de documentação, o que já configura motivo para fazer um novo projeto. Vamos imaginar uma situação. Você está fazendo…

Sistemas fotovoltaicos – Quando instalar DPS classe I

*por José Barbosa A luz da ABNT NBR 5419:2015, devemos instalar Dispositivos de Proteção contra Surtos (DPS) para reduzir o risco de incêndio, choque por tensão de passo e toque e dano nos sistemas internos – equipamentos ligados à energia ou sinal. No caso dos sistemas fotovoltaicos, principalmente aqueles em instalações residenciais e comerciais, a utilização dos DPS envolve todo esse escopo citado. O incêndio e o choque por tensão de passo e toque são os mais importantes por envolver…