Espelho de chapa ou isolante? Qual o melhor?

É comum a seguinte pergunta dos leitores: “Em um quadro de baixa tensão acessível a pessoas não qualificadas e habilitadas, qual seria o melhor material para confecção da barreira de proteção contra contatos diretos e indiretos sobre os barramentos parciais de distribuição dentro do quadro?” Veja as fotos a seguir.

A primeira foto apresenta uma barreira construída com chapa de aço e com fechaduras que requerem o uso de ferramentas para abertura, constituindo uma boa barreira no que tange à NR 10. A segunda foto (à direita) apresenta um obstáculo isolante transparente, o que inegavelmente deixa o quadro mais belo, nos termos de hoje seria “clean”. Entretanto, algumas ressalvas eu me atreveria a colocar: a primeira é que o material isolante precisa ser submetido aos ensaios previstos na ABNT NBR IEC 60439-3, notadamente, o de resistência dos materiais isolantes ao calor, o de resistência dos materiais isolantes ao calor anormal e ao fogo e ensaio de proteção de pessoas contra efeitos elétricos perigosos. Tendo superado essas etapas de certificação, é necessário garantir que a retirada dessa proteção necessite de ferramentas especiais, não por porcas borboleta, como muitas vezes já encontrei, o que facilita a ação inadvertida de um operador não qualificado e habilitado de retirar a proteção e se expor ao risco que muitas vezes desconhece.

Retornando à primeira foto, a utilização de barreira em chapa de aço provê uma proteção eficaz contra efeitos elétricos perigosos, visto que a placa deve estar conectada à massa do quadro e, consequentemente, aterrada, além de ser por hipótese, um material não incandescente.

Entre as soluções apresentadas, a cada profissional cabe a escolha da tecnologia e da apresentação que mais lhe agrada, esteticamente falando, mas é necessário que, escolhido o material, sejam executados os ensaios de tipo previstos na referência normativa ABNT NBR IEC 60439-1/3. É importante ressaltar que o profissional que especifica, constrói, instala, mantém e opera quadros elétricos de baixa tensão, sendo qualificados e habilitados BA-4 e BA-5 pela NR 10, por consequência registrados no sistema Confea-Crea, tem responsabilidade pela escolha e pela manutenção das barreiras e obstáculos para atendimento aos requisitos de acesso inadvertido a pessoas comuns, reconhecidas como BA-1 pela NR 10, sob pena de responsabilização por acidente durante a operação e a manutenção desses quadros.

Particularmente, já presenciei muita negligência em quadros desse tipo. Conhecidos como “quadrinhos de luz”, é comum a sua aquisição sem certificação, às vezes, até montados em campo, negligenciando as responsabilidades e os ensaios compulsórios nestes aparelhos.

Bom, todos sabemos agora que esses quadrinhos também são TTA e devem ser adquiridos apenas de empresas que apresentem certificação, seja com barreiras em chapa de aço ou seja com barreiras isolantes.

Boa leitura!

Atualizado em 28 de julho de 2021 por Simone Vaiser

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico