Gerenciamento de risco

As empresas que operam no setor de energia elétrica, em atividades como geração, transmissão, operações e distribuição, assumem diferentes atitudes em relação aos seus inúmeros riscos.

Algumas mantém sistemas modernos de gerenciamento de riscos e outros limitam-se a tratar de um ou outro seguro que julgam suficiente e pertinente para proteger suas operações.

Na realidade, a atividade em si, incluindo todas as formas de riscos, necessariamente, devem ser tratadas por cada empresa de forma profissional, principalmente nas condições atuais deste nosso país. Em tais condições imperam a desqualificação política, a corrupção endêmica e a incompetência econômico-financeira.

Esses setores, no entanto, vêm constatando, evidentemente, que sistemas modernos de governança empresarial devem ser implantados com urgência e, destes, surge todo o processo de implantação das regras de conformidade, o “compliance” tão propagado. O compliance compreende a importante decisão de implantação obrigatória de um sistema amplo de gerenciamento de risco, não tão somente aplicados a riscos puros, porém, a toda a atividade gerencial: o gerenciamento de risco. O ERM – Enterprise Risk Management – adotado nos países mais desenvolvidos passa a determinar os riscos que afetam a sustentabilidade e a sobrevivência da empresa no contexto de suas operações gerais.

Quando, antigamente, a preocupação dos empresários era a de se sustentar no mercado e manter no máximo um setor de seguros para administrar seus riscos puros e sua administração, hoje em dia, surge a exigência natural da introdução da ERM e, nela, a parte de gerenciamento efetivo dos riscos puros e sua administração. Assim, nasce todo um comportamento especializado de identificação e avaliação de riscos puros e das medidas para adoção de um controle efetivo desses riscos, seja para simplesmente assumi-los, seja por medidas de segurança e prevenção que minimizem os seus impactos e, finalmente, seja para transferência desses riscos a terceiros, inclusive ao seguro, forma mais eficaz de transferência.

Embora a responsabilidade maior pelo gerenciamento de risco de uma empresa seja dela própria, dificilmente, podem prescindir dos serviços de um corretor profissional de seguros e resseguros com conhecimentos específicos como inspeções técnicas, planejamento e administração dos programas de seguros e seus custos, serviços inerentes ao “underwriting” e colocação dos programas de seguros nos mercados segurador e ressegurador, regulação e indenização de sinistros, roadshows nos mercados de colocação de riscos, enfim, uma enorme gama de serviços necessária a um gerenciamento de risco moderno e atualizado.

Esse gerenciamento permite que as empresas mantenham a consciência exata de seus riscos puros e entendimento correto e técnico de tratá-los da melhor forma e custo compatível.

Por Paulo Leão de Moura Jr., chairman da THB Re Brasil.

Atualizado em 7 de junho de 2021 por Simone Vaiser

Posts Relacionados

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico