Iluminação e sustentabilidade

Seguindo a série de artigos, neste  mês, em função do dia do meio ambiente comemorado no dia 05 de junho, nosso tema será iluminação e  sustentabilidade. A reflexão proposta é: de que maneira podemos fazer a iluminação mais sustentável? Quando pensamos no tema invariavelmente já associamos o uso do Led, mas podemos ir além. Podemos pensar no sistema de controle, que, associado à iluminação eficiente, manterá o fluxo luminoso constante durante toda a vida útil, podendo ser associado com sistemas que emitam o fluxo luminoso necessário para cada horário e/ou necessidade de utilização. A iluminação pode ser mais humana e gentil com o usuário que deve ter a possibilidade de utilizá-la da melhor maneira possível sempre.

Mas não precisamos pensar somente na tecnologia Led e no sistema de controle para tornar a iluminação mais sustentável, precisamos pensar no processo produtivo como um todo, desde a concepção do produto, utilização, reparos ao longo do tempo com as manutenções necessária até sua substituição e reutilização ou reciclagem. Aumentar o ciclo de vida não somente em termos de aumento de vida útil, mas no custo geral de  propriedade  e descarte deveria já estar sendo uma metodologia considerada para todos os projetos de eficiência energética em iluminação. Infelizmente ainda discutimos somente o lm/W e a vida do componente LED, perdendo a oportunidade de uma transformação completa do sistema em termos gerais considerando diversas outras questões técnicas pertinentes.

Quando pensamos na iluminação urbana mais sustentável nos deparamos com o paradigma de cada vez mais pessoas vivendo nas cidades e demandando recursos e uso de espaços e buscando uma melhor qualidade de vida. Estima-se que até 2050 mais de 70% da população viva nas cidades, cada vez mais sobrecarregadas com espaços limitados. As cidades precisam de eficiência e sustentabilidade gerando oportunidades para todos os habitantes. A iluminação interferindo diretamente em nossa saúde deve ser cada vez melhor projetada e levando em conta as pessoas e não somente os espaços. Nas cidades, a iluminação deve ajudar a transformar o ambiente urbano no período noturno garantindo que as pessoas tenham condições visuais favoráveis e interferindo o mínimo possível na flora e na fauna. A tecnologia atualmente deve ser apenas uma ferramenta para conseguirmos melhorar nossas metas de eficiência e sustentabilidade.

Uma iluminação mais sustentável que em sua essência respeite o meio ambiente depende de nossas escolhas e atitudes. O menor preço hoje por apresentar riscos e uma conta a ser paga em longo prazo que não está sendo considerada por quem projete, investe, avalia e adquire um produto nos dias de hoje. Demandar menos recursos e gerir estes recursos bem como gerir de forma correta a energia e os resíduos do uso da iluminação são questões essenciais nos dias de hoje. Pensar em economia circular e agir neste sentido deve ser considerado em uma concessão de iluminação daqui para frente. Assim como compatibilizar a iluminação com a arborização urbana.

Precisamos buscar  rapidamente que estes novos critérios sejam incorporados nos futuros projetos para que sustentabilidade em iluminação deixe de ser um conceito, uma tendência ou uma meta e se torne efetivamente algo valorizado, consolidado no entendimento de todos de forma prática e seja requisito essencial em qualquer nova implantação ou reforma dos sistemas existentes. A iluminação sustentável diz respeito a nossa melhoria da qualidade de vida atual, ao nosso futuro, e a vida das próximas gerações.

Atualizado em 28 de julho de 2021 por Simone Vaiser

Posts Relacionados

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico