Iluminâncias da tarefa e do entorno imediato

Edição 64 – Maio 2011
Por Juliana Iwashita Kawasaki

A revisão da ABNT NBR 5413 – Iluminância de interiores trata com mais detalhes sobre as iluminâncias recomendadas para uma maior quantidade de ambientes, atividades e tarefas. A norma recomenda valores para uma condição visual normal sendo levados em consideração os requisitos para a tarefa visual, a segurança, a economia, a experiência prática e os aspectos psicofisiológicos, como conforto visual e bem-estar.

A Comissão Internacional de Iluminação (CIE) e a Organização Internacional para Estandardização (ISO) definem um fator de aproximadamente 1,5 a menor diferença perceptível no efeito subjetivo da iluminância. E definem uma iluminância horizontal de 20 lux como o menor valor considerado para diferenciar as características da face humana em condições normais de iluminação.

A norma estabelece a seguinte escala de iluminâncias:

20 – 30 – 50 – 75 – 100 – 150 – 200 – 300 – 500 – 750 – 1000 – 1500 – 2000 – 3000 – 5000 lux

Esta escala é utilizada para se ajustar os níveis de iluminância recomendados para as tarefas e as atividades quando as condições visuais forem diferentes das assumidas como normais. A iluminância deve ser aumentada em uma escala quando:

  • baixos contrastes fora do normal estiverem presentes na tarefa;
  • o trabalho visual for crítico;
  • a correção dos erros for onerosa;
  • for da maior importância a exatidão ou a alta produtividade;
  • a capacidade de visão dos trabalhadores estiver abaixo do normal.

A iluminância mantida necessária pode ser reduzida em uma escala quando:

  • os detalhes forem de um tamanho extraordinariamente grande ou de alto contraste; ou
  • a tarefa for realizada por um tempo excepcionalmente curto.

A norma estabelece que em áreas nas quais um trabalho contínuo for realizado, a iluminância mantida não deve ser inferior a 200 lux.

As iluminâncias recomendadas para as áreas de tarefa não devem estar abaixo dos valores estabelecidos pela norma, independentemente da idade e das condições da instalação. Assim, o projetista deve considerar, no dimensionamento do projeto, as condições de manutenção do local e recomendar práticas e periodicidades de manutenção.

Outro aspecto relevante em discussão na revisão da norma ABNT NBR 5413 é a adoção mais clara de valores de iluminância na área da tarefa e na área do entorno imediato. A iluminância e sua distribuição nas áreas de trabalho e no entorno imediato têm um maior impacto em como uma pessoa percebe e realiza a tarefa visual de forma rápida, segura e confortável.

A área da tarefa, seja ela horizontal, vertical ou inclinada, é definida como a área parcial em um local de trabalho no qual a tarefa visual está localizada e é realizada. A norma estabelecerá valores mínimos de iluminância para cada tipo de ambiente, tarefa ou atividade.

O entorno imediato, definido como uma zona de no mínimo 0,5 m de largura ao redor da área da tarefa dentro do campo de visão, poderá ter valores de iluminância menores que a área da tarefa.

A iluminância no entorno imediato, entretanto, deve estar relacionada à iluminância da área de tarefa e deve uma uniformidade bem balanceada no campo de visão, pois mudanças drásticas nas iluminâncias ao redor da área de tarefa podem levar a um esforço visual estressante e desconfortável.

A uniformidade da iluminância, definida como a razão entre o valor de iluminância mínimo e o valor médio, deve se alterar gradualmente na tarefa e no entorno imediato. Recomenda-se que a uniformidade da iluminância na tarefa não seja menor que 0,7 e a uniformidade da iluminância no entorno imediato não seja inferior a 0,5.

A iluminância mantida das áreas do entorno imediato pode ser mais baixa que a iluminância da área da tarefa, porém, não deve ser inferior aos valores estabelecidos na tabela a seguir.

 

Iluminância da tarefa (lux) Iluminância do entorno imediato (lux)
≥ 750 500
500 300
300 200
≤ 200 Mesma iluminância da área de tarefa
Uniformidade ≥ 0,7 Uniformidade ≥ 0,5

Com isso, abre-se uma possibilidade para utilização de iluminação localizada quando o layout do edifício for conhecido.

Nestas ocasiões, a iluminação geral com o nível recomendado para área de tarefa não precisa ser adotada para todo o ambiente. Pode-se adotar um nível de iluminância em uma escala menor e projetar uma iluminação localizada nas áreas de tarefa. Assim, é possível obter um projeto luminotécnico mais eficiente energeticamente e possibilitar ao usuário a utilização de iluminação de tarefa com controles individualizados.

Esta prática, além de reduzir a potência instalada no teto, pode possibilitar maior conforto ao usuário, caso dispositivos de controle individuais sejam disponibilizados. O fato de os ocupantes terem a possibilidade de controlar a iluminação eleva a percepção de conforto visual e contribui indiretamente para aumento de produtividade dos ocupantes. Assim sendo, práticas mais eficientes de iluminação poderão ser planejadas, associadas ao enfoque de eficiência energética e bem-estar.

Atualizado em 29 de julho de 2021 por Simone Vaiser

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico