O bom ano dos certificados de energia renovável

Gostaria de terminar o ano de 2020 com boas notícias sobre os Certificados de Energia Renovável: o mercado de certificados está crescendo, o Brasil está se destacando no mercado global e as perspectivas de futuro são as melhores possíveis. O número de usinas brasileiras com Certificados de Energia Renovável é cada vez maior. No final de 2019, eram 104 usinas registradas e finalizamos 2020 com 148 usinas. Isso faz com que o Brasil ocupe hoje a liderança na plataforma I-REC, o International REC Standard (I-REC), sistema global que possibilita o comércio de certificados de energia renovável. 

Também podemos avaliar o ano olhando para os números de emissões de certificado renovável. Em 2018, emitimos pouco mais de 300 mil certificados. Em 2019, esse número foi de 2,5 milhões, sendo que aproximadamente três em cada quatro certificados emitidos foram de fonte eólica. Os números de 2020 ainda não estão fechados, mas a expectativa é fecharmos com quase 5 milhões de certificados emitidos. Isso coloca o Brasil em segundo lugar no mundo na emissão de I-RECs, ficando somente atrás da China.

Estes dados que estou mencionando são fornecidos pelo Instituto Totum, emissor local de RECs no Brasil credenciado pela organização mundial I-REC Services. O Programa de Certificação de Energia Renovável, por sua vez, foi criado pela Associação Brasileira de Geração de Energia Limpa (Abragel) e a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), e já conta com apoio da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).  

E também no processo de certificação há novidades. Além do certificado da energia em si, que já é renovável, alguns consumidores também se interessam em saber os benefícios socioambientais decorrentes daquela fonte de energia limpa – aí entra a Certificação REC Brazil. Os critérios utilizados no REC Brazil para o registro são diretamente ligados aos ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Assim a empresa compradora sabe quais objetivos de desenvolvimento sustentável aquele empreendimento atende: incentivo à educação, preservação da fauna e flora, preservação dos rios e mares, redução da pobreza, dentre outros. Esse é chamado um REC com garantia de sustentabilidade. No site do programa, www.recbrazil.com.br, é possível ter informações detalhadas sobre todo o processo e como são feitas a  compra e a venda verificadas, em ambiente certificado, de acordo com as legislações vigentes que normatizam este sistema.

E mais uma boa notícia é que o REC Brazil também cresceu em 2020. Em 2019, foram emitidos cerca de 185 mil certificados REC Brazil (7% do total) e a expectativa é fechar 2020 com 1,5 milhões certificados (30% do total). 

Uma outra forma de avaliar o ano são os avanços tecnológicos para o sistema de emissão de Certificados de Energia Renovável. O novo sistema de emissões de RECs foi lançado (SISREC) e 100% das emissões de I-RECs no Brasil são gerenciadas por uma segunda camada de segurança com a tecnologia Blockchain (SISREC LEDGER). Para 2021 está prevista a integração do SISREC com a registro global I-REC e a possibilidade de medição de I-RECs em tempo real.

O crescimento do interesse pela certificação e compra dos RECs, e mais ainda do REC Brazil, sinaliza que as empresas estão preferindo consumir energia renovável e, ao mesmo tempo, mostra o compromisso com a mudança de comportamento energético e práticas de ESG.

Atualizado em 17 de agosto de 2021 por Maria Elisa Vaiser

Posts Relacionados

Fazer um comentário

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico