Pesquisa – Condicionamento e geração de energia

A indústria, principal segmento de atuação das empresas dessa área, reduziu o consumo de energia elétrica em razão da crise econômica brasileira. Fabricantes e distribuidores de grupos geradores e equipamentos para condicionamento de energia sofrem as consequências

Segundo a Resenha Mensal da Empresa de pesquisa Energética (EPE), o consumo de energia elétrica das indústrias brasileiras registrou, entre janeiro e setembro de 2016, queda de 3,7% em relação ao mesmo período de 2015. A crise econômica, obviamente, fez o setor industrial reduzir seu ritmo de produção e, consequentemente, consumir menos eletricidade para o acionamento de máquinas e equipamentos. Segundo pesquisa exclusiva com fabricantes e distribuidores de grupos geradores e equipamentos para condicionamento de energia, realizada pela revista O Setor Elétrico e publicada nas páginas a seguir, a indústria é o principal segmento de atuação das empresas entrevistadas; 95% das companhias afirmam comercializar seus produtos para o setor industrial.

Com seu principal mercado de atuação em crise, os fabricantes e distribuidores de grupos geradores e equipamentos para condicionamento de energia pesquisados acusaram o golpe. Em 2014, registraram crescimento de suas empresas em torno de 14%. No ano de 2015, o aumento apresentado caiu para 9%. E agora, em2016, projetam elevação de apenas 7%. No que se refere ao tamanho anual total do mercado, a expectativa se manteve a mesma entre 2015 e 2016, com as empresas acreditando em acréscimo de 5%. Em relação ao crescimento do número de funcionários, as empresas registraram queda considerável. Em 2015, as empresas afirmaram ter aumentado em 9% o quadro de empregados. Atualmente, este número caiu para 5%.

Perguntadas a respeito dos fatores que mais causaram e causarão impacto no crescimento do mercado em 2016, os fabricantes e distribuidores que participaram deste levantamento deram respostas, sinalizando que, não obstante a troca no poder executivo no país, a crise insiste em ficar. Tendo 12 opções, grande parte dos entrevistados (28%) escolheu a desaceleração da economia brasileira Principais segmentos de atuação principal fator. A falta de confiança nos investidores também foi um item muito lembrado, com 15% das indicações. Apesar disso, algumas empresas ainda se mantêm otimistas (16%), acreditando que projetos de infraestrutura influenciarão positivamente o mercado neste ano.

A pesquisa traz ainda o faturamento bruto anual dos fabricantes e distribuidores de grupos geradores e equipamentos para condicionamento de energia em 2015. Conforme o estudo, a grande maioria dos pesquisados (41%) afirmou ter faturado até R$ 5 milhões. Número semelhante ao registrado no levantamento do ano passado, em que 39% das empresas questionadas declararam faturar este montante. Confira a seguir a pesquisa na íntegra:

Clique aqui para fazer o download da pesquisa na íntegra.

Atualizado em 13 de agosto de 2021 por Simone Vaiser

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico