Pesquisa – Prestadores de serviços para GTD

GTD ainda patina

Estudo da Abinee mostra que o setor ainda sofre com falta de investimentos. Este quadro pode ser sentido a partir das informações coletadas pela pesquisa da revista O Setor Elétrico com prestadores de serviços para GTD.

Em março de 2016, a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) divulgou estudo com dados referentes ao desempenho das empresas do setor. Especificamente sobre a área de Geração, Transmissão e Distribuição de energia (GTD), o levantamento registrou um quadro nada animador. Segundo a pesquisa, as concessionárias de energia elétrica, principalmente dos segmentos de transmissão e distribuição, ainda sofrem o impacto da contenção dos investimentos, que, no caso de transmissão, está sendo causado pela pouca atratividade dos leilões, e, no caso de distribuição, pela situação financeira difícil. Conforme a Abinee, mesmo com os reajustes tarifários, a situação das distribuidoras não melhorou, porque parcela expressiva destes recursos foi destinada ao pagamento de custos decorrentes da geração emergencial. A área de geração é a única que se mantém estável, com investimentos ocorrendo de acordo com os cronogramas previstos.

Inseridos nesta área, os prestadores de serviços para GTD, que participaram de recente pesquisa realizada pela O Setor Elétrico, também parecem não estar em seus melhores momentos, apresentando números não tão satisfatórios como no passado, demonstrando assim um certo descontentamento com a atual situação econômica do país. Os entrevistados do segmento de distribuição, por exemplo, declararam, em sua maior parcela (26%), que o tamanho do mercado das empresas do segmento em 2015 foi de até R$ 50 milhões. Na pesquisa do ano passado, a maioria dos prestadores de serviços de distribuição (31%) disseram que o mercado havia faturado, em 2014, entre R$ 100 milhões e R$ 500 milhões.

Algo semelhante ocorreu com as empresas da área de transmissão. Na pesquisa de 2015, 19% disseram que o mercado faturara, em 2014, até R$ 50 milhões. No levantamento deste ano, o número de prestadores que afirma que o mercado faturou até R$ 50 milhões no ano passado cresceu para 26%. Já a porcentagem de prestadores afirmando que o tamanho do mercado gira entre R$ 500 milhões e R$ 1 bilhão caiu de 29% para 26% do levantamento de 2015 para o deste ano.

Clique aqui para fazer o download da pesquisa na íntegra.

Atualizado em 13 de agosto de 2021 por Simone Vaiser

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico