Prestadores de serviços para GTD

Edição 116 – Setembro de 2015

O país conta com 4.290 empreendimentos de geração de energia elétrica e cerca de 127 mil quilômetros de linhas de transmissão para levar energia a 77 milhões de consumidores.

Não é raro definirem o Brasil como um país de dimensões continentais. A extensão territorial nacional é de 8.514.876 km², o que dá ao país a quinta posição entre os países com maior área do mundo. Para se ter uma ideia de como a comparação é cabível, a Europa – contando parte da Rússia – apresenta 10.180.000 km de extensão.

Dessa forma, imagina-se a dificuldade de levar energia elétrica a cada canto do Brasil, tendo em vista a estrutura do chamado Sistema Interligado Nacional (SIN). Este necessita de empreendimentos produtores de energia – no Brasil calcado em usinas hidrelétricas com grandes reservatórios – e linhas de transmissão – com torres, cabos e outros equipamentos -, com o intuito de escoar a energia até aos municípios. Não se deve esquecer o segmento de distribuição de energia elétrica, que abaixa a tensão da energia elétrica vinda das transmissoras, deixando-a apta a ser consumida pelos usuários (indústrias, comércio e residências). A distribuição não faz parte do SIN, mas tem importante papel na cadeia de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica brasileira (GTD).

Confira a seguir alguns dados para compreender o tamanho e as particularidades do segmento de GTD do país:

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Brasil apresenta hoje 4.290 empreendimentos de geração de energia elétrica, totalizando mais de 138 GW de potência instalada em operação comercial. Desse total de capacidade, a maioria, um pouco mais de 92 GW, é oriunda de pequenas, médias e grandes usinas hidrelétricas. Em seguida, vem a geração termelétrica, responsável por cerca de 39 GW e, em terceiro, a geração eólica, cuja capacidade instalada é de aproximadamente 7 GW. No que diz respeito à participação da fonte na matriz elétrica brasileira, a fonte hídrica é a que tem maior importância (65,16%), acompanhada pela fonte fóssil (19,03%), pela biomassa (9,72%) e pela eólica (4,68%).

 

Clique aqui para fazer o download da pesquisa na íntegra.

Atualizado em 13 de agosto de 2021 por Simone Vaiser

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico