Primeira quinzena de março apresenta ligeira alta no consumo de energia

Dados da CCEE são referentes ao período anterior ao agravamento dos impactos causados pela disseminação do COVID-19

O consumo de energia elétrica no Brasil na primeira quinzena de março registrou uma leve alta de 0,4% frente ao mesmo período do ano passado. O volume consumido alcançou os 64.779 megawatts (MW) médios. Os dados, divulgados nesta quarta-feira (18) pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, são referentes ao período anterior ao agravamento dos impactos causados sobre a economia pela disseminação do COVID-19, conhecido como coronavírus. Os dados constam do boletim InfoMercado Quinzenal, publicado no site da organização (www.ccee.org.br).

O crescimento apresentado nesta prévia decorre principalmente do efeito do feriado de Carnaval, que em 2019 ocorreu no dia 05 de março. Já neste ano, as festas foram celebradas em fevereiro, o que adiantou a redução do consumo nos segmentos comercial e industrial. As temperaturas mais amenas registradas entre o dia 1º e 15 limitaram o aumento no volume consumido.

No Ambiente de Contratação Regulada – ACR, o consumo apresentou retração de 2,0%, principalmente em decorrência da migração de consumidores para o Ambiente de Contratação Livre – ACL. Excluindo-se o impacto das migrações, o ACR registraria aumento de 0,1%. O consumo no mercado livre, por sua vez, apresentou crescimento de 6,0%. Desconsiderado o impacto da migração, contudo, o ACL apresentaria aumento mais modesto, de 0,9%.

Os segmentos que registraram maior crescimento, considerando autoprodutores, varejistas, consumidores livres e especiais, foram: saneamento (23,8%), comércio (18,0%) e manufaturados diversos (13,2%). Os ramos de atividade que apresentaram o pior desempenho foram transporte (-7,6%) e extração de minerais metálicos (-6,2%).

Geração. A geração de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional – SIN também apresentou elevação na primeira quinzena de março. Com 68.468 MW médios, a produção registrou aumento de 0,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A alta foi observada nas usinas hidráulicas (7,2%) e fotovoltaicas (17,9%), com redução de 20,0% das usinas térmicas e de 38,9% das usinas eólicas.

Atualizado em 7 de junho de 2021 por

Posts Relacionados

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico