Revisão da ABNT NBR 5413 é encaminhada à consulta pública

Atualizado em 29 de julho de 2021 por Simone Vaiser

Edição 78 – Julho de 2012

Por Juliana Iwashita

 

No mês de julho a Comissão de Estudo para Aplicações Luminotécnicas e Medições Fotométricas da ABNT/CB-03 – CE-03:034.04 aprovou o texto final da revisão da norma brasileira ABNT NBR5413: Iluminância de interiores. A atual norma, datada de abril de 1992, estabelece os valores de iluminâncias médias mínimas em serviço para iluminação artificial em interiores. Desatualizado em relação às práticas recomendadas internacionalmente, o documento é a principal norma que rege os projetos luminotécnicos de interiores.

 

O texto aprovado foi encaminhado ao Comitê Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações (Cobei) e será disponibilizado para consulta pública por um período de dois meses. Interessados poderão acessar, visualizar, imprimir e apresentar sugestões no site http://www.abntonline.com.br/consultanacional/.

A Comissão de Estudo contou com a participação total de 68 profissionais, representantes de instituições como Abilux, CIE Brasil, Eletrobras, Procel, Inmetro, Fundacentro, universidades, arquitetos, lighting designers, fabricantes de equipamentos de iluminação, laboratórios e concessionárias de energia elétrica.

O texto foi baseado na Norma Internacional ISO 8995-1: Lighting of work places – Part 1: Indoor, elaborada em conjunto com a CIE (Commission Internationale de l’Eclairage) e abordará aspectos quantitativos e qualitativos da iluminação para que as pessoas desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente com conforto e segurança.

Entre os principais aspectos da revisão, podem ser destacados os seguintes requisitos:

1. Iluminância mantida para área da tarefa e entorno imediato;

2. Controle de ofuscamento através do Método UGR – UnifiedGlare Rating – Índice de ofuscamento unificado;

3. Reprodução de cor mínima (Ra) para as diversas atividades e tarefas.

Estes três aspectos são recomendados para cada interior, tarefa ou atividade, fazendo com que o projeto luminotécnico seja tratado de forma mais qualitativa.

Quanto à conservação de energia a norma faz a seguinte consideração: “Convém que a instalação do sistema de iluminação atenda aos requisitos de iluminação de um ambiente específico, de uma tarefa ou de uma atividade sem desperdício de energia. Entretanto, é importante não comprometer os aspectos visuais de uma instalação de iluminação simplesmente para reduzir o consumo de energia”.

A norma recomenda a seleção criteriosa do sistema de iluminação e a utilização de acionamento automático ou manual ou a dimerização das lâmpadas priorizando a luz natural disponível para economizar energia.

Visando a melhor compreensão da norma, a comissão de estudo trabalhou na elaboração de um guia orientativo com a explanação dos principais requisitos da norma. Este guia foi baseado na publicação ZVEI Guideto DIN EN 12464-1 – Lightingofworkplaces Part 1: Indoor workplaces.

Na forma de quatro anexos informativos, o guia orientativo traz orientações e detalhes sobre:

A. Áreas de tarefa e áreas do entorno;

B. Grade de cálculo para projeto do sistema de iluminação;

C. Controle do ofuscamento; e

D. Manutenção do sistema de iluminação.

Estes anexos informativos têm o objetivo de assessorar a aplicação da norma, de forma a não alterar o conteúdo da norma ISO 8995-1. Assim, a norma, se aprovada, deve ter seu nome alterado para ABNT NBR ISO 8995-1: Iluminação de ambientes de trabalho – Parte 1: Interior, sendo previstos o cancelamento e a substituição das normas ABNT NBR 5413:1992 – Iluminância de interiores e ABNT NBR 5382:1985 – Verificação de iluminância de interiores.

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico