Revisão da ABNT NBR 5419 – Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas – Uma vista d’olhos no novo texto

Edição 74 / Março de 2012
Por Jobson Modena

Neste artigo são comentadas algumas alterações que a comissão de estudos 64.10 pretende realizar no texto durante a revisão da ABNT NBR 5419:2005, documento que normaliza a proteção contra descargas atmosféricas no Brasil.

A revisão tem como base o texto da IEC 62305:2010 – Lightning Protection – partes 1 a 4 e tem nova previsão de publicação para início de 2013.

Como já divulgado, depois de revisada, a norma será bem diferente da atual, tanto na forma quanto no conteúdo. Conceitos e diretrizes existentes em outros documentos foram compilados e farão parte da “nova NBR 5419”.

Incluído nas alterações, pode-se destacar o novo formato que, seguindo tendência atual, prevê a existência de quatro partes distintas no mesmo documento, em que os assuntos estão assim divididos:

  • Parte 1 – Vinculada ao desenvolvimento de conceitos e apresentação da teoria envolvida no processo, necessária para melhor compreensão e para a confecção de estudos, projetos, análises, etc. Não há texto correspondente a esta parte na norma atual.
  • Parte 2 – Responsável por direcionar uma análise de risco criteriosa e abrangente que, além de determinar a necessidade técnica da existência do Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) no local, também fornecerá os parâmetros para a determinação do nível de proteção adotado. O anexo B da norma atual é o responsável pela definição da necessidade técnica da existência de SPDA nas estruturas.
  • Parte 3 – Normaliza as dimensões, os tipos de instalação, os tipos de métodos de cálculo e tudo o que envolve o SPDA externo, bem como parte do SPDA interno. A maioria do texto existente na norma atual tem correspondência com esta parte.
  • Parte 4 – Sem nenhuma correspondência na norma atual, esta parte define a correta utilização da proteção interna, notadamente o conceito de Zona de Proteção contra Raios (ZPR), proporcionando o aumento da proteção das instalações elétricas e, principalmente, dos equipamentos por ela servidos contra os efeitos indiretos das descargas atmosféricas.

Dentre as muitas alterações de conteúdo podem-se destacar:

  • Os procedimentos para o cálculo da captação pelo método do ângulo de proteção (Franklin), em que, ao invés dos ângulos serem fixos para cada situação de nível de proteção, eles passam a ser obtidos através de curvas;
  • As dimensões para a disposição dos módulos (quadrículas) no método das malhas (Faraday);
  • O espaçamento das descidas;
  • As dimensões de vários materiais utilizados no SPDA, principalmente os condutores de cobre nu.

Ao se ler o texto da nova versão da ABNT NBR 5419, nota-se que a maioria das alterações é consequência de um trabalho constante que busca adotar medidas que aumentem a segurança no SPDA e resultem em um texto mais apurado e abrangente.

Atualizado em 21 de julho de 2021 por Simone Vaiser

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico