Geração distribuída
crispim

PL 5829 e as melhores práticas em Geração Distribuída

A Geração Distribuída (GD) está ganhando cada vez mais atenção da sociedade pelos resultados econômicos para os que geram sua própria energia, pela enorme quantidade de emprego e renda que propicia, além de contribuir para a descarbonização e diversificação da matriz energética, e ainda com grandes benefícios para a saúde pública pela redução de poluição ambiental. A GD propicia também ganhos significativos para o sistema elétrico, principalmente no estágio inicial de penetração na matriz energética, como é o caso do…

Jose Starosta

Votação do marco legal da energia fotovoltaica e a dificuldade para enxergar a luz

Em meados de abril o legislativo iniciou a discussão do projeto de lei 5829/19, o marco legal da geração distribuída solar, que deverá levar ao final a discussão, quase um braço de ferro, entre as distribuidoras e os interessados na Geração Distribuída (GD) solar. Parece um contrassenso não aceitar os benefícios da energia limpa, saudada por todos aqueles que se propõem a substituir as fontes poluidoras não renováveis e que sujam a matriz energética brasileira. Ocorre que no atual estágio…

crispim

Projeto de Lei 5829/2019 – Marco legal da GD

Recentemente, o Brasil alcançou a marca de 430 mil sistemas de geração distribuída de energia elétrica conectados à rede – painéis solares em telhados, em terrenos, usinas de biomassa, biogás, CGHs, entre outros projetos que se enquadram nessa modalidade. O número de instalações em 2020, mesmo em meio a pandemia, foi 60% maior do que no ano anterior, segundo os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Apenas neste início de 2021, já foram instalados mais de 70 mil…

ronaldo-koloszuk-200

O arcabouço legal da geração distribuída

O mercado de geração distribuída (GD) se desenvolveu de forma acelerada nos últimos anos, na esteira da regulamentação vigente, a Resolução Normativa da Aneel nº 482/2012, em especial, a partir da sua revisão, em 2015, por meio da Resolução Normativa Aneel nº 682/2015. Desde o final de 2018, quando se iniciaram os debates sobre a programada revisão da REN 482 pela Aneel, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) desenvolveu uma série de análises técnicas e econômicas aprofundadas para…

crispim

De volta às bandeiras tarifárias

A matriz elétrica brasileira é predominantemente limpa e majoritariamente hídrica, porém, seguimos emitindo uma quantidade excessiva de carbono com a geração de energia elétrica, pois constantemente precisamos ligar as térmicas. Basta uma pequena oscilação positiva no consumo, ou um agravamento da situação hídrica, que mantém nossos reservatórios cada vez mais baixos há anos, para que o sistema de bandeiras seja acionado. O recurso de arrecadar fundos para custear térmicas mais caras e sinalizar para o consumidor que é o momento…

daniel-bento-200

A importância da confiabilidade das redes elétricas subterrâneas para a vacina do Butantan

Escrevo essa coluna dias após a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ter liberado o uso emergencial das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford para uso contra o novo Coronavírus. Particularmente, estou feliz por poder escrever o primeiro artigo do ano com uma notícia boa que traz esperança para 2021. Acredito que todos acompanharam nos últimos meses as discussões, muitas vezes inflamadas, sobre a confiabilidade ou não da vacina do Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac,…

CAPÍTULO VII – Presente e futuro da geração distribuída

Edição 174 – outubro/novembro de 2020. por Daniel Bento e Julio Martins* Clique aqui para fazer o download deste capítulo.   *Julio Martins é engenheiro eletricista com mais de 20 anos de experiência no mercado de energia (GTD). Atualmente, é vice-presidente na Schneider Electric. *Daniel Bento é engenheiro eletricista e membro do Cigré, onde representa o Brasil em dois grupos de trabalho sobre cabos isolados. Atua há mais de 25 anos com redes isoladas, tendo sido o responsável técnico por…

Minas Gerais: uma locomotiva da energia solar no Brasil

*por Rodrigo Sauaia, Ronaldo Koloszuk e Bruno Catta Preta   “Ói, ói o trem, vem surgindo de trás das montanhas azuis, olha o trem”, citando um dos sucessos do compositor Raul Seixas, o trem mineiro vem cadenciando o ritmo do mercado de energia solar fotovoltaica na geração distribuída (GDFV) ao longo dos últimos anos. A locomotiva de Minas Gerais atingiu alta velocidade e, recentemente, conquistou a marca de 600 megawatts (MW) de potência instalada nos pequenos sistemas em telhados, fachadas…

Energia solar fotovoltaica atinge 3 gigawatts em geração distribuída no Brasil

O Brasil acaba de atingir a marca histórica de 3 gigawatts (GW) de potência instalada em sistemas de microgeração e minigeração distribuída solar fotovoltaica em residências, comércios, indústrias, produtores rurais e prédios públicos. Fonte: ANEEL / ABSOLAR, 2020. Última atualização 03/07/2020. Segundo mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), a fonte solar fotovoltaica, baseada na conversão direta da radiação solar em energia elétrica de forma renovável, limpa e sustentável, lidera com folga o segmento de microgeração e minigeração…

CAPÍTULO V – Geração Distribuída: regulação, mercado e perspectivas

Edição 172 – julho/agosto de 2020. por Flávio de Souza e Daniel Bento* Clique aqui para fazer o download deste capítulo.   *Flávio de Souza é engenheiro eletricista com experiência de mais de 20 anos na indústria eletrica e eletrônica. Atualmente, é diretor comercial da CPFL Soluções. *Daniel Bento é engenheiro eletricista e membro do Cigré, onde representa o Brasil em dois grupos de trabalho sobre cabos isolados. Atua há mais de 25 anos com redes isoladas, tendo sido o…