Yaskawa Elétrico do Brasil mantém operação em ritmo menor

Multinacional japonesa reduziu despesas e investimentos, mas não visa diminuir jornada de funcionários

A Yaskawa Elétrico do Brasil,  líder mundial na fabricação de inversores de frequência e servo acionamentos e integrante do grupo Yaskawa Electric Corporation,  entende a gravidade da atual conjuntura ocasionada pela Covid-19 e tem buscado se enquadrar da melhor forma possível, visando sempre  atender seu mercado, sem deixar de lado a saúde e segurança de seus colaboradores diretos e indiretos.

“Desde março, temos adotado o sistema de home office para a grande maioria de nossos colaboradores. Alguns funcionários estão indo à empresa em sistema de rodízio para atividades, cuja execução remota é impossível: logística, montagem de equipamentos e assistência técnica. Buscamos proteger nossos funcionários com EPI’s necessários, medidas de segurança no convívio das instalações e nos deslocamentos residência/trabalho”, esclarece Luís Simione,  diretor geral da Yaskawa Elétrico do Brasil.

De acordo com Simione, a operação tem funcionado num ritmo menor do que o normal, o que se reflete no faturamento esperado para as próximas semanas, também abaixo do normal. “Não temos uma operação considerada essencial, entretanto damos suporte a operações que podem ser enquadradas nessa categoria, ao fornecer peças e equipamentos para o correto funcionamento destes”, explica.

O diretor geral informa ainda que a Yaskawa Elétrico do Brasil tem se adaptado aos novos níveis de faturamento. A empresa reviu contratos e reduziu despesas e investimentos, para conseguir manter a jornada de funcionários. “Evitaremos ao máximo a redução de jornada para minimizar o impacto negativo aos nossos colaboradores. Caso consigamos manter os níveis revistos de faturamento, e a situação se mantiver assim por apenas o segundo trimestre, conseguiremos evitar tais políticas”, acredita.

Simione afirma temer o impacto na saúde da população e também na economia como um todo. “Prevemos uma queda significativa no faturamento do segundo trimestre de 2020. Ainda temos apenas o segundo trimestre como impactado. Por ora, entendemos que o pico da quarentena se dê até junho, com queda a partir de julho, quando as empresas devem voltar a níveis maiores de atividade econômica”, avalia.

Atualizado em 7 de junho de 2021 por

Posts Relacionados

Política de Privacidade
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.
O Setor Elétrico